Total de visualizações de página

domingo, 7 de abril de 2013

Cores, Datas Comemorativas, signos e Dias da Semana dos Orixás



   A Umbanda é uma religião que nos dá a oportunidade de escolher a melhor forma de praticá-la, respeitando os valores e crenças de cada um. Na umbanda existem conceitos universais, aqueles que se não forem seguidos não se pode considerar Umbanda, como por exemplo a crença em Deus e nos Orixás, a crença nos trabalhadores que formam as linhas que dirigem os trabalhos na Umbanda como os Caboclos, os Pretos Velhos e Ibejis, a prática da caridade sem qualquer tipo de cobrança, seja material ou psicológica, não sacrificar animais, o predomínio da cor branca nos uniformes, trabalhos direcionados apenas para o Bem, entre outros.

   A questão das cores dos Orixás, datas comemorativas e dias da semana está confundindo muitos irmãos de fé, diante de tantas informações desencontradas, mas que se apreciadas empaticamente, fazem todo o sentido dentro da realidade de cada um.

   O julgamento precipitado, a crítica que acaricia o ego, a falta de sensatez de discursos superficiais do que não se conhece, prejudica mais do que aclara o entendimento, sem contar que é uma falta de caridade para com o próximo que pensa diferente dele.

   Creio que os Orixás e nossos queridos trabalhadores de Umbanda pouco se importam com a forma de determinados ritos e crenças, desde que a intenção seja pura e verdadeiramente para o Bem. Não existem melindres entre a espiritualidade da Umbanda, existe sim entre os umbandistas. É certo que o consenso de pensamentos e idéias determinaria com mais precisão a identidade umbandista, mas se ele nem sempre existe, não pode ser atribuído ao acaso, é mister supor que predomina na espiritualidade umbandista o respeito pela liberdade de consciência, ausente em muitos de nós.

   Feita esta pequena introdução sobre a diversidade na Umbanda com relação ao tema abordado, vamos agora falar um pouco sobre as crenças de nossa Casa, Casa Umbandista de Oração Ogum Iara, na tentativa de tornar explícita a nossa escolha e o porquê dessa escolha, qual a compreensão e fundamento que encontramos em nossa prática umbandista.

   Vamos começar pelas cores que são dadas aos Orixás. Percebemos que as cores que os representam têm significado apenas para nós encarnados, que precisamos sempre de um referencial para conduzir a nossa fé. Os Orixás são luzes que emanam do Criador, cada Orixá vibra em uma gama bem grande de cores e dentro desta faixa de cores está a que adotamos para cultuá-los. De acordo com a cromoterapia, ciência que utiliza as cores para restabelecer a saúde, cada cor tem um significado e transmite um tipo de energia. Existem as cores vibrantes como a vermelha, verde e a amarela, as cores equilibradoras como o azul, rosa, lilás, as cores tranquilizantes que remetem a paz, como o branco e a cor neutra como o marrom e o preto. Podemos aplicá-las também na representação que se aproxima da cor dos elementos de cada Orixá, ou do fenômeno da natureza, ou do seu reino específico, bem como na característica de personalidade dos seus filhos. Então, diante dessas informações adotamos as seguintes cores em nossa Casa, concordando com algumas cores já adotadas em alguns segmentos de Umbanda:

OXALÁ - COR BRANCA: representação maior da fé, cor que remete à paz espiritual e ao mais evidente simbolismo da Umbanda, igualdade entre todos. O Branco é a união de todas as cores.

LOGUNAM (OYÁ- TEMPO) COR PRETO E BRANCO: São as cores do tempo, A cor branca simboliza a presença de todas as cores e a cor preta a ausência de todas as cores, o dia e a noite, representa também o aspecto de absorção e esgotamento da religiosidade desvirtuada e dos excessos cometidos em nome da fé, caracteristicas desta orixá. 

OXUM - COR AZUL ROYAL: O maior simbolismo de Oxum é a água, o azul royal é a cor que se forma no encontro da água do rio com o mar. Sabemos que na nossa região nordeste predomina a cor amarela para Oxum, que simboliza o ouro que esta Iabá representa, respeitamos esta crença, porém acreditamos que o ouro representa valores puramente materiais, em discordância com a sublimidade espiritual, também é utilizado o rosa que é a cor que representa o amor, esta ultima é utilizada para a linha das crianças, por esta orixá regente desta linha.

OXUMARÉ - COR LARANJA: Esta cor alem de ser uma das cores do arco-iris, representação deste orixá, é a cor de uma das mais conhecidas serpentes na umbanda, a cobra-coral.  Associada também a este orixá.

OXÓSSI - COR VERDE: É a cor que melhor representa o reino específico deste Orixá: as matas é a cor também utilizada na linha dos caboclos, que tem como regente Oxóssi.

OBÁ - COR MAGENTA: É a cor que melhor representa o reino desta orixá, que é a terra úmida e fértil que sustenta os vegetais, a terra preta, como chamam os paisagistas.







XANGÔ - COR MARROM: Cor que mais se aproxima da cor do elemento rocha deste grande Orixá.

ORÔ INÁ (EGUNITÁ) - COR LARANJA: Esta cor representa o fogo divino, que purifica, é a própria Orixá Orô Iná.
OGUM - COR VERMELHA: Cor que sugere altivez, dinamismo, força para o combate, em momentos de luta o "sangue pulsa nas veias", diz o ditado popular. Orixá considerado guerreiro de Umbanda e no nosso entendimento a cor vermelha é a que melhor lhe representa.

IANSÃ - COR AMARELA: O maior simbolismo de Iansã é o raio, e neste predomina a cor amarela.

OBALUAÊ - COR VIOLETA: É a cor que representa a mistura da terra com a agua, ou seja a lama, que é o reino deste Orixá.

NANÃ BORUQUÊ - COR ROXO: também uma Orixá aqua-telúrica, esta cor também representa esta mistura, sendo diferente de Obaluaê na concentração dos dois compostos.

IEMANJÁ - COR AZUL CLARA: Cor que melhor representa o reino específico desta Iabá: o mar.

OMULU - CORES AMARELA E BRANCA: Cores que melhor representam os extremos opostos. Omulu é o Orixá da transformação, auxilia no encaminhamento das almas após o desenlace do corpo físico, portanto, está entre a vida e a morte, que são simbolicamente os extremos opostos, podendo-se atribuir o amarelo para a vida e o preto para a morte, ou a luz e as trevas, também são utilizadas as cores branco e preto com este mesmo sentido, são também as cores da linha das almas(pretos velhos).

EXUS - CORES PRETA E VERMELHA: Tradicionalmente, a cor preta é associada às trevas, que é o principal campo de atuação dos nossos guardiães e a cor vermelha é associada ao arquétipo de bravura, luta e dinamismo, principal característica dos Exus de Lei. A cor vermelha também é atribuída ao Orixá Ogum que direciona a Lei para que os Exus a façam cumprir, dessa forma, os Exus trabalham sob a vibração do Orixá Ogum, compartilhando entre eles a cor vermelha.


 
Abaixo um quadro com as datas comemorativas na umbanda e os santos sincretizados:


DATAS COMEMORATIVAS NA UMBANDA

ORIXÁ
SANTO
DATA
Oxalá
Nosso senhor do Bonfim
15/01


Oxóssi
São Sebastião
20/01


Iemanjá
Nossa senhora dos navegantes
02/02


Ogum
São Jorge
23/04


Yorimá
Pretos Velhos ( Almas benditas )
13/05


Egunitá
Santa Sara de Kali
24/05


Oba
Santa Joana D`arc
30/05


Exu
Santo Antônio
13/06


Xangô
São João Batista
24/06


Xangô
São Pedro
29/06


Nanã Boruquê
Sant`Ana
26/07


Oya-tempo
Santa Clara
11/08


Iemanjá
Nossa senhora da gloria
15/08


Omulu
São Roque
16/08


Oxumaré
São Bartolomeu
24/08


Ibejada
São Cosme, Damião e Doum.
27/09


Xangô
São Jeronimo
30/09


Oxum
Nossa senhora Aparecida
12/10


Ibejada
São Crispim e São Crispiniano
25/10


Finados
Almas
02/11


Todos os Orixás
Dia da Umbanda
15/11


Oba
Santa Catarina
25/11


Iansã
Santa Barbara
04/12


Oxum
Nossa senhora da conceição
08/12


Obaluaê
São Lazaro
17/12


Oxalá
Jesus Cristo
25/12



 Passaremos agora aos dias da semana, signos e astros associados a cada orixá.







Orixá Virginal  Astro (Sistema Solar) Signo do Zodíaco Dia da Semana 
Oxalá  Sol  Leão  Domingo 
Iemanjá  Lua  Câncer  2ª Feira 
Ogum  Marte  Áries / Escorpião  3a Feira 
Xangô  Júpiter  Peixe / Sagitário  4a Feira 
Oxossi Mercúrio  Gêmeos / Virgem 5a Feira 
Oxum (Yori, Ibejis)  Vênus  Touro / Libra  6a Feira 
Yorimá (Obaluaê)  Saturno  Capricórnio / Aquários  Sábado 
 


 

6 comentários:

  1. boa noite gostaria de saber e confirmar de verdade qual é o meu orixá de cabeça me chamo Gabriela pereira dos santos nasci em 09.04.1985 e por onde já passei todos me falam que sou de xango e ogum.so gostaria de saber de verdade para poder cuidar melhor deles ou delas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Noite Gabriela, infelizmente este é um assunto que necessita de uma consulta com uma entidade (Preto-velho ou Caboclo), para que sentindo sua vibração possa confirmar sua coroa. Existem varias vertentes que através de vários métodos de verificação com jogos divinatórios tentam descobrir os Orixás regentes, mas na Umbanda não fazemos uso do jogo por acreditar que o jogo é a fala do Orixá, que no Candomblé não fala, já na Umbanda as consultas são conversadas diretamente com as entidades que não precisam dos jogos para passar a mensagem.
      Em nossa casa o Orixá é verificado por uma das entidades incorporadas em consulta e só confirmado apos a incorporação deste pelo médium em nossa corrente, é um procedimento adotado pelo nosso dirigente espiritual.

      Espero ter ajudado
      Luis

      Excluir
  2. eu passei em alguns lugares é minha guia preta é vermelha , arrebentou, eu fui na casa de uma garota que eu saiu as vezes , , fui na quermesse aonde tinha muitas pessoas ruins, é depois fui até a casa de minha ex namorada, será que em alguns desses lugares , tem haver com o que aconteceu com minha guia obrigado se puder me ajudar.meu n nome ., carlos r.c. melo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro irmão Carlos,
      A Guia, seja de direita ou de esquerda, é uma ferramenta mágica utilizada na Umbanda, tanto como um poderoso elemento de conexão com as entidades a que a guia pertence, quanto como um elemento de proteção pessoal, assim como o Patuá.
      Em minha Casa trabalhamos com alguns tipos de guias, as que são feitas na consagração e irradiação da entidade que solicitou-a, que pode ser de direita ou esquerda, a guia de anjo da Guarda, a Guia de Oxalá, a guia de Orixá e as guias de proteção pessoal.
      As primeiras são confeccionadas de acordo com a solicitação da entidade são consagradas em suas força e utilizadas apenas nos trabalhos mediúnicos dentro do terreiro nas giras especificas destas entidades.
      As de anjo da Guarda, são utilizadas para proteção do médium nos trabalhos dentro e fora do terreiro, confeccionadas com contas brancas de porcelana, com algumas contas nas cores dos orixá que regem o Médium, Frente, ancestre e adjunto, e só é confeccionada quando há a confirmação, através das incorporações, destes Orixás, são consagradas a Oxalá.
      A Guia de Oxalá, è uma Guia confeccionada apenas com contas de porcelana branca, utilizada para proteção de médiuns novos que ainda não confirmou seus orixás, nos trabalhos dentro e fora do terreiro.
      A guia de Orixá feita nas cores e irradiação dos orixás do médium, confeccionadas apenas apos o primeiro amaci de confirmação, usadas nos trabalhos dentro do terreiro.
      As guias de proteção pessoal são confeccionadas por solicitação de uma entidade para proteção de um individuo, médium da casa ou não, usada sempre junto ao corpo como um amuleto.
      Concluindo então, todas as guias são elementos de troca energética entre o médium e a entidade que a imantou e o ambiente que estão, ora absorvendo, ora doando energia, normalmente transformam a energia danosa ao usuário em energia benéfica, e quando a intensidade desta energia ultrapasse esta capacidade transmutadora do amuleto ele se rompe e arrebenta, protegendo o médium de receber esta Carga, esta energia pode ser do ambiente onde o individuo está, como alguma magia direcionada a este próprio individuo.
      Então, concluindo, agradeça a seu protetor dono da guia por ela ter se rompido, livrado-o desta influencia energética, o trabalho dela foi feito e com muito louvor. O conselho que lhe dou, é recolher as contas que puder, lavá-las com sal grosso para desimantar, recompor sua guia e levá-la a entidade para reimanta-la, pronto esta com sua proteção restabelecida. E ai não se preocupar tanto com os lugares onde passar, mas veja bem, é preciso tomar cuidado freqüência com que freqüenta este lugares, procure verificar a energia do ambiente, pois quanto mais a freqüência maior é a possibilidade de vc começar a compartilhar destas energias impregnadas neste ambiente.

      Espero ter ajudado
      Luis

      Excluir
  3. Poderia me explicar por favor porque Oxalá é dia 15/01? Sei que muitas pessoas dizem que é 25/12 de foram errada por causa do sincretismo, mas gostaria muito de saber porque dia 15/01. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Noite, Dia 15 de Janeiro se comemora na religião católica, dia de Nosso Senhor do Bonfim, que é sincretizado com o Orixá Oxalá, na Umbanda e também nos cultos Afro-Brasileiros. Neste dia, existe uma festa muito popular na Bahia que é uma grande manifestação de tolerância religiosa e confraternização de fé, que é uma a lavagem das escadarias da igreja de Nosso Senhor do Bonfim, onde o Povo de Santo se reúne para assistir a missa junto aos católicos e após o termino ministrar a lavagem da escadaria da igreja com agua de cheiro, agua aromatizada com ervas e essências, purificando as energias para o inicio do ano.
      Espero ter ajudado. Luis

      Excluir

CARO INTERNAUTA UMBANDISTA, COLABORE COM NOSSO BLOG.
Poste nos comentarios suas duvidas sobre nossa religião, terei prazer em tentar ajudar a sana-las